HIPÓDROMO DO CRISTAL
Newton Domingues Kalil


O CLUBE TAMBÉM PRECISA SER SOCIAL EXPOINTER: NECESSÁRIO O PSI

* Aqueles mais chegados aos movimentos que envolvem coisas do JCRGS têm presente as reuniões e iniciativas promovidas pela Confraria do Chapéu, grupo de mulheres fundado e que tem a liderança da Lúcia Zago, primeira dama do clube e que na anterior gestão do presidente José Vecchio Filho manteve ativa participação.


É Impressionante, com N.Silva, mais um ponto para o líder Stud Sion - Trotta Fotos


* Pois a Confraria do Chapéu e o Lions Club Floresta de Porto Alegre no domingo, 18 de agosto, em uma promoção que está se tornando tradicional, realizaram no Salão Preto do Jockey sua Quinta Feijoada e congregaram quase 300 pessoas em um clima de muita animação em prol de festa benemerente.


Liliana Bered com Lúcia Zago

* Faço esta referência para enaltecer a liderança da esposa do presidente Vecchio nesta iniciativa e em todas as demais em que se lança.

* Assim, creio que na gestão iniciada há menos de dois meses, é primordial que dona Lúcia esteja presente com sua alegria, postura cristalina e simpatia inatas e possa contribuir para desenvolver atividades na área social do clube e seu relacionamento com os sócios.

* É inegável que somos um clube de corridas de cavalos e sei que esta é a colocação diária feita pelo presidente e seus parceiros de diretoria.

* No entanto, os imensos espaços ainda existentes e o pavilhão social precisam contribuir para que a visualização da entidade tenha uma conotação há muito perdida. É necessário reconstruir o elo dos sócios com o clube, os sócios precisam saber que ele existe e está ativo. Somente desta maneira é que poderá congregar.

* Os comentários ouvidos por aqueles que há muito não vinham ao Jockey e por aqueles que desconheciam a beleza do visual do pavilhão social e do seu entorno dão guarida a minha posição de que é importante promover iniciativas que ajudem a trazer de volta um grupo maior de sócios que de há muito estão esquecidos e absolutamente ignorados pelo clube.

* Primeiro, além dos conselheiros, o clube deveria relacionar e identificar os sócios e a possibilidade de serem localizados. Depois, todos deveriam receber, com a facilidade das redes sociais, alguma publicação semanal sobre o que está acontecendo, seja a notícia do resultado das carreiras, a presença de alguém importante e, até, do estágio das obras da Vila Hípica, assunto do momento no clube.

* Em resumo, é preciso ter recomeço - ou começo? - a relação do clube com seu sócio, antecipando esta iniciativa a necessária reforma estatutária que precisa vir e, tenho certeza, está na planificação prioritária do presidente Vecchio, assim que passarem estes primeiros meses da nova gestão.

* Com o início da Expointer 2018, o setor primário brasileiro realiza sua maior festa e seu maior campo de negócios.

* É impressionante o prestígio popular à feira e a exposição e vitrine das diversas raças de animais expostas atraem um número cada vez maior ao Parque de Esteio.

* Durante anos sustentei ser preciso a presença do PSI que na sua época áurea esnobava a feira gaúcha, apesar da quase maioria dos criadores da raça ser vinculada à produção primária, de uma forma ou de outra.

* Reputo tal posição à soberba no que diz respeito ao PSI que ficou por décadas no seu casulo de imponência.

* Nos últimos quatro anos o PSI esteve presente na Expointer e este ano, por motivos já expostos e amplamente divulgados, deu um break na sua participação, apesar do sucesso da sua tardia aparição no evento em comento.

* Contudo, desde já a AGCCC e o JCRGS não podem deixar de planificar e se preparar para a Expointer de 2019, fator que dignificará a raça, permitindo que se consolide sua participação e que a plástica dos espécimes mais uma vez atraia os olhares dos milhares que prestigiam a mostra.

* Na semana que passou, em pista de areia encharcada - que inverno rigoroso o Rio Grande está vivendo! -, frio e chuva de intermeio, foram corridos 8 páreos, com o movimento geral de apostas atingindo R$ 337.519,35 (R$ 231.140,85-RJ e R$ 106.378,50-SP), com a média, portanto, de mais de 42 mil reais por páreo. Como se observa, apesar de insuficiente para cobrir o custo da reunião, se verifica uma tendência de alta constante.

* Os remates voltando a véspera das corridas atingiu R$ 9 mil e, a partir desta semana, teremos um grupo de whatsapp fazendo apostas antecipadas nesta modalidade.

* Na última reunião deste mês, dois clássicos serão realizados, os Criteriums em 1.600m, Clássico JCRGS, para os machos e o Clássico Presidente José Herculano Machado, destinado às fêmeas. As duas provas prometem e começam a demonstrar quem é quem nos três anos.

* Faleceu na quarta-feira, 22, Liliana Bered, proprietária da By Nani Eventos, que foi por anos a ecônoma do JCRGS. Foi também a responsável pela criação e execução do espaço Varanda Cristal, muito importante hoje e palco da Confraria do Chapéu e de outros eventos.

* Por compromissos assumidos - apresentação de um programa de televisão -, bem como o meu dia a dia agitado nos afazeres da advocacia, me despeço nesta edição de meus leitores. Espero ter construído bons laços e que todos tenham compartilhado com gosto do que escrevi. Um abraço e um até breve!

 

 

 
 

© 2018 - Jornal do Turfe Ltda.
Copyright Jornal do Turfe. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal do Turfe.