Newton Domingues Kalil
 
kalil@ksir.com.br
 
 

HIPÓDROMO DO CRISTAL

* Com o final da Copa do Mundo seria possível considerar voltarmos à normalidade, ainda mais que o País não figurou nem na quadrifeta no evento realizado na Rússia. Contudo, em menos de três meses teremos eleições para todos os níveis - presidente, senadores, deputados federais e estaduais e governadores - e apesar dos candidatos que se apresentam não empolgarem o que é mais falado está preso por condenação singular, mantida pelo tribunal de apelação, além de responder por crimes variados em outros processos, é inevitável a data para acrescentar obrigação nos títulos eleitorais.

* Ou seja, todos nós vamos continuar nesta incessante instabilidade social e política e a esperança de dias mais tranquilos afastada.

* De qualquer maneira, o melhor é pensar que temos solução e que as promessas advindas das campanhas que ainda não iniciaram possam ser cobradas resultando em fatores positivos e que permitam que a sociedade tenha possibilidade de recomeçar a sentir orgulho da terra em que vivemos, ao contrário do desânimo que toma conta de grande parte da população.

* Cada um de nós precisa enfrentar o que vem por aí, a partir do seu voto que tem de ser pensado com vigor e não como mais uma obrigação para cumprir carnê.

* Aliás, esta é uma página de turfe, atividade que passa por constante dificuldade e que por força da crise institucional nacional vem regredindo em seus números gerais, apesar dos esforços daqueles que ainda acreditam que a criação de cavalos de corrida e todos os envolvidos nas suas consequências têm sua razão de ser.

* A esperança é que o turfe nacional possa na próxima legislatura ajustar seus objetivos e que as apostas diretas nas carreiras e aquelas que foram disciplinadas e autorizadas, venham a beneficiar toda a cadeia envolvida, proporcionando, finalmente, sua independência.

* Aqui por Porto Alegre, após quinze dias na gestão, o presidente Vecchio e sua diretoria estão procurando dar tranquilidade a todos no sentido de que está sendo feita uma análise geral do clube e os procedimentos da gestão anterior, a fim de que os ajustes que forem precisos sejam feitas da forma mais cristalina possível.

* De qualquer forma o que se verifica é que não há nenhum espírito de procurar fantasmas, até porque está presente que todos os procedimentos anteriores estão registrados e, certos ou equivocados, precisam ter continuidade, naquilo que for positivo e resolvidos na parte em que estiver prejudicando o impactando na gestão.

* Conforme anunciado, uma das questões mais prementes é a forma de ocupação da nova Vila Hípica que está com suas obras em andamento e, provavelmente, serão concluídas até o fim do presente ano.

* Além das questões técnicas envolvendo o manuseio dos animais, os hábitos exercidos nos generosos espaços da quase ex Vila Hípica, terão que ser refeitos. Os profissionais terão, obrigatoriamente, que modificar suas práticas e os proprietários se adaptar aos novos tempos.

* Aliás, talvez nesta nova etapa o clube, mais enxuto, consiga se adaptar e se permita retomar a importância e influência de outros tempos.

* O Cristal realizou a segunda reunião da nova temporada, em pista de areia macia, sendo apostado no sistema do Jockey Club Brasileiro o montante de R$ 306.174,80 e, em São Paulo, dobrou o movimento de maio para a última semana, R$ 127.792,50 (SP).

* Dois clássicos faziam parte da jornada.

* O Clássico Presidente Cneu Aranha, para Produtos de 3 anos e mais idade, em 1.100m, viu com surpresa a vitória de Don Arlindo (Crafty C. T. e Irada por Choctaw Ridge), criação do Haras Nijú e propriedade de Fabrício Pereira de Carvalho. Conduzido por Ederval S. Teixeira e precioso treinamento de Flávio Matos, veio a derrotar Dessert (Minion), chegando em terceiro o favorito Samurai (Benny The Bull). O tempo foi muito bom: 1’07”6.


Don Arlindo - Trotta Fotos

* Já o Clássico Tribunal Federal da 4ª Região, em 1.800m e reservado para Éguas de 3 anos e mais idade, teve como vitoriosa a pouco apostada Just Event (Wild Event e Miracema por Sonus), criada pela Coudelaria Frugarolo do Sul e propriedade de Fernando Lafaiete Duarte Nahas. No preparo o W.Almeida Jr. e condução de Rogério Arias. Em segundo e proporcionando polpuda dupla entrou Endorfina (Public Purse). Em terceiro a favoritíssima Best Dubai (Dubai Dust) que parece estar sentindo a intensa campanha da temporada passada. O tempo de 1’58”3 arranhou o recorde.


Just Event - Trotta Fotos

* Na próxima semana não haverá prova clássica aqui no Cristal, pois a programação nobre da última reunião de julho (27) terá a realização da Copa ABCPCC, o tradicional Handicap de Tordilhos (GP Governador do Estado) e o Clássico Ministro da Agricultura, em reunião que promete ser exponencial.

 

 
 

© 2018 - Jornal do Turfe Ltda.
Copyright Jornal do Turfe. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal do Turfe.